A sample text widget

Etiam pulvinar consectetur dolor sed malesuada. Ut convallis euismod dolor nec pretium. Nunc ut tristique massa.

Nam sodales mi vitae dolor ullamcorper et vulputate enim accumsan. Morbi orci magna, tincidunt vitae molestie nec, molestie at mi. Nulla nulla lorem, suscipit in posuere in, interdum non magna.

projectos de intervenção

As mentoradas do dMpM2 desenvolvem, em grupos, projectos de intervenção para a mudança, por elas desenhados e operacionalizados.

Porque acreditamos que a Igualdade requer um percurso conjunto, feito por mulheres e por homens, o objectivo macro dos projectos de intervenção é o envolvimento dos rapazes e dos homens nas questões da Igualdade de Género, mobilizando-os para a mudança, contribuindo para a eliminação de estereótipos sexistas e o esbatimento de papéis sociais de género condicionantes das escolhas de cada um/a.


Projectos de Intervenção Mentoradas dMpM2-Lisboa


Vida Com’Igual

um projecto de Catarina Correia, Margarida Machado e Rita Pires

“O projecto Vida ComIgual está a ser desenvolvido pela Catarina Correia, Margarida Machado e Rita Pires e visa chamar a atenção dos/as jovens para as disparidades ainda existentes quanto ao papel do homem e da mulher na vida pública e privada.
O nosso objectivo é trabalhar com jovens da Associção Cultural Moinho da Juventude e da Associação dos Escoteiros de Portugal, através de sessões de formação compostas por dinâmicas de grupo e uma peça de teatro-fórum na área da igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, a ter lugar na região da Grande Lisboa entre Maio e Julho do corrente ano.
As dinâmicas serão desenvolvidas pelas três mentoradas, contemplando, por exemplo, a (des)construção de um homem e de uma mulher em papel, com recurso a imagens de revistas e jornais. A peça de teatro-fórum será construída pelas mentoradas a partir de estereótipos de género  e executada por actores e actrizes convidados/as. Assistir-se-á ao crescimento de duas personagens, a Maria e o Rafael. Após a apresentação da peça, as/os jovens serão convidadas/os a participar na mesma, tomando o lugar de alguma personagem cujo comportamento julgem dever ser rectificado.
Os produtos elaborados no âmbito deste projecto – dinâmicas e peça de teatro-fórum – serão divulgados junto de diversas entidades que visem a promoção da igualdade de oportunidades.

Eles e Elas: Educar e Intervir no Secundário

um projecto de Helena Magalhães, Jaqueline Silva e Tânia Spranger

Para o nosso trabalho decidimos intervir directamente numa Escola Secundária, parecendo-nos ser um lugar privilegiado de desenvolvimento e formação das/os jovens, procurando transmitir-lhes no seu meio algumas ferramentas que as/os ajudem na sensibilização para a realidade social em que se inserem, incutindo-lhes um sentimento de responsabilidade e acção enquanto futuras/os cidadãs/ãos. Neste sentido, o nosso público-alvo centra-se em jovens rapazes e raparigas na faixa etária dos 14-18 anos que após uma primeira abordagem feita por nós, demonstrem interesse em participar no projecto.

Os objectivos que seguimos e pretendemos atingir, passam num primeiro momento por conhecer a percepção e opinião que as/os jovens têm sobre a Igualdade de Género, e a partir dos resultados daqui obtidos, procuramos: incentivar o seu pensamento para as questões da Igualdade de Género, para que debatam e discutam este tema entre si, como também para que sejam capazes de identificar desigualdades e discriminações futuras, adoptando uma postura activa e consciente para a reprovação e dissolução dessas desigualdades. Após estas duas fases, o resultado final e grande objectivo é criar um plano de acção transversal com sugestões e contributos para as boas práticas da Igualdade de Género nas escolas de todo o país.

Reage!

um projecto de Adriana Delgado e Mafalda Gonçalves

Dinamizado no campus da Alameda do Instituto Superior Técnico, este é um projecto dirigido aos jovens. Através de uma campanha mais informal e algo irreverente, pretende-se alertar a população estudantil desta faculdade para as questões de género, incidindo sobretudo na desconstrução dos papéis de género, que entendemos ser o ponto de partida para o reconhecimento das desigualdades.

O projecto envolve distribuição de flyers, a elaboração e divulgação de vídeos, a realização de um workshop/tertúlia (estas 3 acções com o intuito de questionar os papeis de género), a realização de uma “Festa da Igualdade” com stand up comedy e animação musical, e a distribuição de boletins (estas 2 acções por forma a divulgar as desigualdades).

A dois é melhor!

um projecto de intervenção de Ana Ramada e Ana Velez

Este projecto pretende intervir nas necessidades/dificuldades com que os jovens casais e/ou familias se deparam. Tem como principal finalidade abordar a conciliação nas dimensões pessoal, familiar e profissional.

Como principais instrumentos, estão a realizar-se acções de formação junto a Organizações Não Governamentais que lidam directamente com esta população alvo. Encontra-se igualmente em construção um glossário no ambito da temática.
Palavras Chave: Conciliação; Familia; pessoal; profissional, igualdade e género.


brevemente mais informação sobre os restantes projectos a decorrer no dMpM2-Lisboa


Projectos de Intervenção Mentoradas dMpM2-Porto

Juventudes Paritárias

Um projecto Beatriz Marques, Joana Soares e Márcia Bartolo

Somos um grupo de três jovens mulheres com interesses diversos, mas um deles insurgiu-se como comum: a vida política e social, tanto do país onde nascemos, como do mundo.

Assim, no contexto do projecto de intervenção para a mudança, resolvemos abordar uma temática relacionada com este interesse: o papel e o percurso das jovens mulheres nas diferentes juventudes partidárias portuguesas.

Para tal, planeámos um conjunto de actividades que, por um lado, nos permitirão recolher e analisar dados relativos a esta temática (aplicação de um inquérito à população em geral, mas mais direccionado para as camadas jovens, e reuniões com representantes ou membros das juventudes partidárias), e, por outro lado, que irão ajudar a divulgar os nossos resultados e informações (realização de um seminário em Setembro, com oradores e oradoras com experiência na área do género e da política). Também temos em mente a elaboração de uma revista, que foque o percurso de diferentes mulheres e homens activistas nas questões de género, tendo como pano de fundo as questões da política. De forma a compilar toda esta informação, pretendemos igualmente elaborar um manual de boas práticas, que contemplará a questão da paridade nestas estruturas partidárias, para ser amplamente disseminado.

Concluindo, este projecto almeja, acima de tudo, uma reflexão e contributo para a mudança acerca do papel das mulheres nos órgãos políticos, focalizado na juventude, como motor que é (ou deve ser) da sociedade actual.

Festival de Arte Feminista

Um projecto de Ana Forte, Lucinda Saldanha e Rita Machado

O nosso projecto de intervenção compreende a organização e implementação de um Festival de Arte Feminista que decorrerá na primeira quinzena de Setembro de 2010. Pretendemos trabalhar em sinergia com artistas que abordem ou pretendam abordar a temática da (des)igualdade
de género nos seus trabalhos. O Festival ambiciona reunir uma grande variedade de linguagens artísticas das quais destacamos a performance, a fotografia, a música, a literatura, a dança e o cinema.
Paralelamente, o Festival pretende constituir-se como um espaço de reflexão e promoção da mudança social e para isso prevê a partilha de ideias em torno de mesa(s) redonda(s) onde terão lugar conversas sobre a actualidade das questões de género e feminismo.
Este evento pretende, acima de tudo, assumir-se como um espaço privilegiado de encontro entre artistas e a comunidade tendo como pano de fundo a igualdade de género, a desconstrução de estereótipos em torno do movimento Feminista e a sensibilização dos homens e jovens rapazes para a importância do seu envolvimento nestas questões.

Género e Interculturalidade – Uma Abordagem Não Formal

Um projecto de Margarida Bessa, Núria Rodrigues e Renata Coelho

Este projecto consiste na elaboração de um Toolkit de actividades de educação não formal, direccionadas para as questões de género e da interculturalidade.

Neste sentido, este projecto tem como objectivo pesquisar e recolher actividades já existentes, tentando compreender a existência ou não de linguagem inclusiva, e de estereótipos associados aos papéis de género, entre outros aspectos. Deste modo, serão propostas alterações às actividades seleccionadas, de forma a desenvolver uma ferramenta que torne mais acessível a associações, voluntários/as, e facilitadores/as de educação não formal, todo o tipo de actividades que conjuguem estas temáticas. Ambicionamos igualmente a criação de actividades da nossa autoria para incluir no Toolkit.

O grupo pretende ainda testar algumas das actividades que constarão no Toolkit em, pelo menos, uma associação juvenil.

Este projecto terminará com o lançamento e apresentação pública do Toolkit.

Risca a Desigualdade do Teu Namoro

Um projecto de Ana Carla Amorim e Joana Topa

Este projecto consiste na elaboração de um Guia Orientador de Educação Não Formal para prevenir as questões de violência doméstica no namoro. Este guia é direccionado para técnicas/os que trabalham directamente com jovens adolescentes.

Neste sentido, este projecto tem como objectivos: contribuir para a tomada de consciência das/os jovens quanto às questões da violência de género; sensibilizar as/os jovens para a importância da igualdade e dos direitos humanos em geral e desenvolver com as/os jovens valores, atitudes e princípios, no sentido de construir relações paritárias.

O grupo pretende ainda testar as actividades propostas no Guia Orientador em duas Instituições de Jovens do Grande Porto.

Este projecto terminará com o lançamento e apresentação pública do Guia Orientador.

EnCurta as Desigualdades

Um projecto de Catarina Mendes, Mariana Moutinho e Marisa Macedo

Procurando sensibilizar os homens e os rapazes para a importância das questões da igualdade de género, e lembrando a importância da comunicação visual na retenção de mensagens, “EnCurta as Desigualdades” é uma curta-metragem que representa algumas das áreas em que existe desigualdade de género entre as/os jovens, nomeadamente no que concerne ao equilíbrio entre a vida académica e familiar e na participação cívica.

Pretendemos mostrar o dia-a-dia de uma jovem e de um jovem, servindo como ponto de partida para a reflexão acerca da desconstrução dos papéis atribuídos a raparigas e rapazes, e do modo como estes podem condicionar o indivíduo e impedir a estruturação de uma sociedade verdadeiramente igualitária. Ambicionamos demonstrar que é possível a conciliação da vida privada e pública sendo rapariga e rapaz, e que nenhuma está vedada ou reservada a uma e a outro. Trata-se, em suma, de combater estereótipos através da transmissão de uma mensagem simples e cativante.

brevemente mais informação sobre os projectos a decorrer no dMpM2-Porto